Dicas gerais para quem vai prestar concurso

Entrevista com o Psicólogo Fernando Elias José, psicólogo, membro da Sociedade Brasileira de Terapias Cognitivas e há doze anos trabalha na preparação de pessoas para provas e concursos.

 

Quais as principais dicas para quem quer se preparar bem para um concurso?

Primeiro: tenha objetivos claros, saiba o que você quer. É preciso ter esta certeza para conseguir a determinação necessária para enfrentar um concurso.

Além disso, organize-se. Tenha um cronograma diário de estudos. Entretanto, saiba que nem todo dia renderá igual ao outro. Como em tudo na vida, haverá dias bons, dias ruins, de maior e menor rendimento, mas tudo ajudará a construir seu conhecimento.

E além de estudar bastante, dê também valor ao descanso, ele é muito importante para a fixação dos conteúdos em sua memória. O indicado é, para cada 50 minutos de estudo, 10 minutos de descanso. Sem falar no sono, pois é durante ele que a memória trabalha.

Então, procure dormir bem. Divida o conteúdo de estudo diariamente em começo, meio e fim. Assim você conseguirá ter a sensação de conclusão diária, sem se frustrar porque “o conteúdo não acaba nunca”.

Também não se apavore diante da quantidade de conteúdo exigida para a prova. Dificilmente alguém chegará à prova sabendo tudo ou quase tudo. Saiba que um concurso é dividido em três partes: conhecimento técnico, fator emocional e sorte.

Portanto, fica claro que o saber é muito importante, mas não é tudo. É preciso encontrar um equilíbrio entre o conhecimento, o estudo, e suas questões pessoais.

Assim, dê também atenção ao lazer e, principalmente, entenda como se sente em relação ao concurso, aprendendo a lidar com estas emoções. Do contrário, o fator emocional pode atrapalhar e muito seu desempenho.

Outra dica: não fique pensando no concorrente! Você é seu maior concorrente! Prepare-se bem e vá confiante.

Quais as dicas para o dia do concurso?

A principal dica para a véspera o dia do concurso ou vestibular: não mude sua rotina!

Se você costuma se alimentar de uma forma, alimente-se daquela forma – nada de adotar dietas mirabolantes para turbinar o desempenho no dia da prova, para não correr o risco de chegar lá passando mal, tendo problemas estomacais e outras coisas que só irão atrapalhar.

Quanto ao sono, a mesma coisa: na noite anterior à prova, durma exatamente o mesmo que está acostumado a dormir nas outras noites.

Não tome remédio algum sem orientação médica.

Leve em consideração o fator ansiedade: é normal que no dia da prova você esteja naturalmente ansioso, nervoso. Conte com isso. Procure se informar sobre formas de se tranqüilizar com exercícios de respiração, de visualização criativa, e use isso a seu favor.

Na hora da prova, leia atentamente cada questão, sem afobação. E se der branco, saiba que não é nada além do que uma descarga excessiva de adrenalina, e não uma perda de conhecimento: o que você estudou e sabe ainda está ali, é possível resgatar. Acalme-se.

Geralmente, quem faz concurso sabe que, para passar, é preciso mais de uma tentativa. Como se motivar, diante deste quadro?
Primeiro, como já falei, tenha um objetivo claro. Esta será a maior motivação para tudo.

Escolha um concurso, não saia fazendo todos os que aparecem. Só assim será possível se administrar, se focar, e se preparar bem.

Saiba que sim, você poderá ter de fazer o mesmo concurso mais de uma vez até passar, mas também não se baseie nisso para se preparar com menos afinco. Dedique-se para passar a cada vez.

O importante é saber que concurso é persistência, e não velocidade. Se você se prepara e tenta, um dia vai passar. Mas se o foco for passar rápido, logo de cara, provavelmente não dê certo. A frustração é normal neste meio, mas lembre-se: só não passa quem desiste.

Qual é a maior motivação entre as pessoas que prestam concursos?

Na verdade, são três as motivações mais comuns: estabilidade, retorno financeiro e realização profissional.

Existe um perfil de pessoa que passa em concurso?

Sim: o persistente. Quem tem mais capacidade de insistir, de se preparar e de superar as frustrações, passa. Quem tem objetivo e insiste em busca dele, aliando conhecimento técnico e equilíbrio emocional e pessoal, passa. Quem desiste, não.

Como conquistar este equilíbrio?

O mais importante é você se conhecer. Saiba o que sente, que situações o deixam nervoso, o que desperta sua ansiedade e que efeitos isso geralmente gera. Conhecendo-se, busque uma forma de lidar com isso.

Muitas vezes a pessoa consegue isso sozinha, mas quando isso não acontece, é importante buscar auxílio profissional.

Quais os erros mais comuns entre as pessoas que prestam concurso?

Um dos erros mais comuns é não admitir que vai errar. Na prova, a pessoa vai enfrentar dificuldades, vai cometer erros. É normal.

Supervalorizar ou subestimar a prova também é um erro. Não fique pensando que é muito difícil ou muito fácil: prepare-se.

Achar que seu método de preparo é único e insubstituível. Procure se informar, conheça métodos diferentes, ouça dicas, esteja aberto.

Não conseguir equilíbrio emocional. Como já dito, se você não conseguir isso sozinho, busque apoio profissional.

E o apoio profissional é importante também na preparação técnica – há pessoas que conseguem se preparar, adquirir conhecimento necessário, sem a ajuda de um professor, sem dicas, enfim, sozinhas.

Mas são exceções: se você tem dificuldade em alcançar por conta própria o grau de conhecimento técnico e equilíbrio emocional necessários para um concurso, busque ajuda.

Compartilhe Esse Conteúdo Com Seus Amigos

Conteúdo Em Destaque

Deixe o Seu Comentário...

Acha Difícil Passar em Concursos? Conheça o Curso Onde Você Aprenderá Rapidamente a Passar em Qualquer Concurso Público Estudando Apenas 2 Horas Por Dia!