Dicas de como ser aprovado no processo de avaliação psicológica em concursos públicos

Sabe-se que muitos “testes” psicológicos estão disponíveis na internet. Dicas controversas, sobre esse material de uso exclusivo do psicólogo estão disponíveis em diversos links.

Tais informações prejudicam o candidato. Alguns sites expõem protocolos que realmente são de testes, mas que não são mais aprovados pelo SATEPSI (Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos do Conselho Federal de Psicologia). Sabe-se que o teste psicológico deve ser revalidado de tempos em tempos para atualização da linguagem devido à mudança cultural, devido à amostra (conjunto de pessoas), para verificar se realmente medem o que se propõe e o quão bem medem o que propõem a medir. Ou seja, temos testes já descartados pelo Conselho Federal de Psicologia na internet.

O candidato, ansioso pela aprovação na etapa de avaliação, acaba sucumbindo ao erro de buscar dicas na internet e as informações desatualizadas, contraditórias e falsas mais confundem o candidato do que realmente o ajudam na aprovação dessa etapa do certame. Então como passar?

  1. Leia o perfil de cargo antes de se inscrever para o concurso: todo edital publica o perfil esperado de cada cargo, esse perfil é previamente formulado e exatamente isso será avaliado pela banca examinadora. Não é possível haver alteração posterior desse perfil. O perfil é o conjunto de características fundamentais para a execução das atribuições do cargo. Antes de fazer a inscrição no concurso, leia o perfil de cargo e reflita se você realmente tem as características esperadas;
  2. Leia as atribuições do cargo: todo concurso busca candidatos que se identifiquem com as atribuições, ou seja, com as atividades que serão executadas. Isso ocorre porque há grande investimento financeiro dos órgãos públicos em capacitar os nomeados. Se você não se identifica com as atividades, se sua motivação é apenas a remuneração, então certamente seu perfil é diverso do esperado;
  3. Fuja de dicas de internet: conforme exposto anteriormente, as dicas de internet não ajudam o candidato, podendo causar alterações nos resultados. Como participante de banca, pude comprovar através das entrevistas de devolução que muitos candidatos não indicados estavam confusos no momento do teste devido às dicas da internet e emitiram respostas que não evidenciaram seu potencial para o cargo;
  4. Fuja de psicólogos que afirmam “treinar” para os testes: o psicólogo estuda cinco anos para obter formação generalista e estuda mais dois anos para obter especialização em avaliação psicológica. Um profissional qualificado jamais colocaria sete anos de estudo em risco. O Conselho Federal de Psicologia proíbe “treinamentos” para responder a testes e pune profissionais que realizam tal atividade. Geralmente o psicólogo que se propõe a treinar para os testes não tem qualificação suficiente e cobra valores absurdos para supostamente fazer o treinamento. Esses treinamentos prejudicam o candidato porque o confundem, levando o candidato a emitir respostas contraditórias ou que não mostram seu potencial para o cargo;
  5. Durma bem na noite anterior: procure descansar bem na noite anterior. Fuja de medicamentos que induzem ao sono ou de bebidas alcoólicas. Quanto mais descansado você estiver, melhor conseguirá compreender as instruções e melhor conseguirá raciocinar para responder aos testes;
  6. Alimente-se antes de fazer os testes: alimentar-se adequadamente equilibra as taxas de glicose do corpo evitando fadiga que pode afetar o desempenho nos resultados. Se você é diabético ou tem propensão a crises de hipoglicemia, certifique-se de que sua alimentação estará adequada para suportar algumas horas de jejum devido à execução dos testes.
  7. Não faça nenhuma atividade com dúvida: o psicólogo examinador deve ler as instruções para a execução das tarefas. Caso você não compreenda, pergunte. É melhor perguntar e executar bem a atividade ao invés de fazer com dúvida, podendo não mostrar seu real potencial.
  8. Foco na tarefa: no momento das orientações para a avaliação psicológica, preste atenção. Mesmo que você acredite que sabe como o teste deve ser feito, fique atento às explicações e execute as tarefas como o examinador o instrui;
  9. Evite uso de medicamentos: alguns medicamentos podem reduzir a capacidade de atenção (ex.: benzodiazepínicos, antigripais e antialérgicos). Evite o uso de remédios porque eles podem alterar sua capacidade de raciocínio e de atenção.

Lembre-se: você tem direito à cópia do laudo e à entrevista de devolução dos resultados, mesmo sendo aprovado no concurso público! Em caso de dúvidas, contrate um psicólogo devidamente credenciado junto ao Conselho de Psicologia.


Andréa Pires Waldman
Psicóloga CRP 07/20531
Fone: 51 8286-8713
Cadastre seu curriculo em: http://andreawaldman.com.br/drh/site/index.php
Site: www.andreawaldman.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/PsicologiaRH
Linkedin: br.linkedin.com/pub/andrea-pires-waldman/29/b99/151/
Twitter: https://twitter.com/apwaldman

Compartilhe Esse Conteúdo Com Seus Amigos

Conteúdo Em Destaque

Deixe o Seu Comentário...

Acha Difícil Passar em Concursos? Conheça o Curso Onde Você Aprenderá Rapidamente a Passar em Qualquer Concurso Público Estudando Apenas 2 Horas Por Dia!