A preparação do candidato para o ingresso no serviço público

Colação de grau, vida profissional à frente, eis que surge um grande dilema: a procura de uma boa colocação no mercado de trabalho. 

Diante da crise do Estado, com o enxugamento de sua máquina administrativa e a circulação restrita de riquezas na iniciativa privada, realmente quem recebe um diploma fica sem opção, mas o desejo de ver compensado o esforço merece uma reflexão. 

Se por um lado não se consegue créditos bancários para iniciar um negócio próprio, por outro a tentação de ser servidor público incomoda. Mas outra batalha deve ser vencida: falta tempo e local para se estudar; desestímulo diante da concorrência cada dia melhor preparada; escolha do material e do curso preparatório adequado, para quem não se dispõe a enfrentar sozinho o estudo das disciplinas; termos técnicos a desvendar, e um vocabulário diferente daquele adquirido nos bancos universitários. 

Então, primeiramente, deve o candidato definir exatamente o que pretende e quando começar. 

Se a pretensão é ingressar na Magistratura, recomenda-se iniciar os estudos pelo menos dois anos antes das provas e carga horária de 6 a 8 horas diárias. Nos três últimos meses (véspera das provas) aumentar o ritmo diário para 10 a 12 horas. 

Convém selecionar as quatro últimas provas; iniciar a leitura da legislação básica, doutrina e jurisprudência da área escolhida (Justiça Comum, Federal, do Trabalho ou Militar). 

Se o cargo pretendido for de nível superior ou médio dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, deve o candidato preparar-se seis meses antes, em média, estudando Português, Informática, Direito Constitucional e Administrativo - nessa ordem - e quando da divulgação do edital, complementar com as outras disciplinas. Num primeiro momento sugere-se de 4 a 6 horas de estudo, e após a publicação do edital até 12 horas diárias. 

Para quem não dispõe de tantas horas livres (porque trabalha ou tem atividades domésticas abrangentes), todo e qualquer tempo deve ser aproveitado, inclusive fazer com que o lazer (filmes, teatros, festas, viagens) transforme-se em aprendizado científico. 

Leituras de jornais devem transformar-se em debates jurídicos; crimes e seus desdobramentos devem ser acompanhados até sua finalização para que aquela noção de processo penal seja fortalecida. Um fato de alto relevo ocorrido na administração pública deve merecer significativa atenção, principalmente se resultar na instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito - que o candidato poderá entender melhor relendo os dispositivos da Constituição correspondentes. 

Enfim, todo o tempo e todas as atividades sociais devem estar literalmente voltadas para o cargo pretendido. O resultado é compensador. 

Em outra oportunidade detalharemos o dia a dia do candidato. 

Um abraço. 

Sormany Ribeiro

Analista Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho e Professora de diversos ramos da ciência do direito em cursos preparatórios para concursos públicos em Brasília - DF

Compartilhe Esse Conteúdo Com Seus Amigos

Conteúdo Em Destaque

Deixe o Seu Comentário...

Acha Difícil Passar em Concursos? Conheça o Curso Onde Você Aprenderá Rapidamente a Passar em Qualquer Concurso Público Estudando Apenas 2 Horas Por Dia!